3.8.17

Agora

« He feels the time is surely now or never...more.» David Byrne, Listening Wind

Nem ontem, nem amanhã, o que fazemos agora é o que somos.
O que fazemos é pouco... ou nada.
Num instante, o vento deslumbra-nos...
E ficamos suspensos, tontos...
- Do quê? 
- Nunca saberemos...
Como o Poeta (Silva Carvalho) que, passados vinte anos,  concluiu que o melhor era escrever um romance - Palingenesia... por não poder «continuar por mais tempo nesta inexequível solidão.» Talvez desse modo encontrasse um leitor, um interlocutor...