29.4.17

Esta insistência

Esta insistência nos detalhes pessoais está a tornar-se contraproducente. Em nada contribui para a descoberta do que me move, pois não vislumbro qualquer progresso e aumenta-me os níveis de ansiedade. É um pouco como se escrever fosse um meio de enclausuramento.
É uma ânsia em que o objeto se vai dissipando, pois não se sabe quando o tempo acaba - o meu tempo! Porque se o tempo absoluto não existe, eu nem um nó chego a ser numa qualquer cadeia ininteligível.
Talvez seja esse o motivo que explica os jogos de automutilação: incapazes de definir etapas, ocupamo-nos a testar a existência, pois do sentido há muito abdicámos.
Visto que o tempo sempre foi uma das minhas obsessões, hoje resolvi recorrer ao canal das gravações e procurar a série GENIUS (1º episódio)... e lá encontrei o Albert Einstein, o internacionalista, em colisão com os padrões políticos, morais, sociais e científicos do seu tempo - do nosso tempo. Vou esperar pelo episódio da próxima 5ª feira, ansioso...