5.4.18

A chave

Durante anos, habituei-me a ver (ou a imaginar) o São Francisco de Assis a ufanar-se de ter vencido a morte. Ou seria um São Francisco temeroso da morte? 
Facto é que (e não verdade ou mentira, porque estas não passam de superstição...) que logo pelas 7h30 da manhã o observava atentamente à espera que a caveira tivesse desaparecido...
Há uns tempos, regressei ao lugar do encontro diário e, talvez, por falta de concentração, o altar pareceu-me diferente...
Hoje, finalmente, consegui fotografá-lo numa atitude de vitória como se tivesse descoberto a chave da imortalidade...