8.4.14

Dia internacional dos ciganos numa pastelaria de referência

Journée internationale des Roms
Dia internacional dos ciganos
C’est le 8 avril 1971, que les Roms, qui représentent la première minorité de l’Union européenne, choisissaient, malgré une situation encore difficile, les symboles de leur communauté ainsi que leur drapeau et leur hymne...

Manhã cedo, três ciganas, tagarelas, sentam-se a uma mesa de uma pastelaria de referência. A mais idosa levanta-se, dirige-se ao balcão e pede um café num copinho de plástico. A resposta seca diz-lhe que ali não há copinhos de plástico
A velha cigana não desiste, volta para o lugar e pede um café em chávena escaldada e um pãozinho de leite tostado... Ao balcão, vários clientes censuram a ousadia quando a cigana devolve o café porque quer a chávena cheia...
Do lado de lá do balcão, já se condena o RSI (o rendimento social de inserção) e tudo aquilo que o leitor esteja habituado a pensar...
Uns minutos mais tarde, a TSF entrevista um distinto cigano que refere que nas escolas pouco é feito por esta comunidade e que mesmo que os ciganos concluam os estudos com sucesso ninguém os contrata...
Por seu turno, a Alta Comissária  para a Imigração e Diálogo Intercultural,  Rosário Farmhouse, aponta que a situação atual dos ciganos não é muito diferente da vivida em 2008 e, sobretudo, que o número de queixas de discriminação desta comunidade não tem aumentado. Se algum problema existir, a culpa é da crise!

Em síntese, há séculos que a minoria cigana é discriminada e continua a sê-lo até no facto de estar sob a alçada de um pomposo Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural. Afinal, a quem é que serve a existência de minorias, se o objetivo é a integração?