17.4.14

Quando um livro – O Caso de Barbacena - nos faz pensar e procurar

O livro “O Caso de Barbacena – Um Pároco de Aldeia entre a Monarquia e a República” de Margarida Sérvulo Correia tem certamente muitos méritos, entre os quais  o de dar conhecer a vida de um sacerdote, João Neves Correia, que soube colocar-se do lado dos mais fracos, defendendo-lhes os interesses, mesmo quando estes faziam opções que não ajudavam a resolver o problema. 
Ler este livro (e viajar por estas terras) mostra-nos como a vida das populações e do seu pároco era dura e, sobretudo, como era necessária muita coragem e resistência física para calcorrear aquelas distâncias ao frio, à chuva e ao calor…
Barbacena (ou Barvacena?) é lugar antigo que parece, ao fim de tantos séculos, não se ter libertado das regras feudais! A herdade da Font’Alva lá continua improdutiva ao mesmo tempo que meia dúzia de aldeãos queimam o tempo num banco da Igreja paroquial.
Enquanto circulei pela Estrada de Barbacena fui vendo que alguns proprietários estão a apostar no cultivo da vinha, mas a maioria dos terrenos continuam subaproveitados… A certa altura, dei comigo a pensar em qual será o valor do IMI para uma herdade da dimensão da Fonte d’Alva! Se alguém tiver resposta, gostava de a conhecer…