Antero de Quental


I


                                          Leia o soneto. Se necessário consulte as notas.

Razão, irmã do Amor e da Justiça,
Mais uma vez escuta a minha prece.
É a voz dum coração que te apetece,
Duma alma livre, só a ti submissa.

Por ti é que a poeira movediça
De astros e sóis e mundos permanece;
E é por ti que a virtude prevalece,
E a flor do heroísmo medra e viça.

Por ti, na arena trágica, as nações
Buscam a liberdade, entre clarões;
E os que olham o futuro e cismam, mudos,

Por ti, podem sofrer e não se abatem,
Mãe de filhos robustos, que combatem
Tendo o teu nome escrito em seus escudos.
Antero de Quental

NOTAS

hino: composição musical com letra apropriada para celebrar alguém ou alguma coisa.
prece: oração; invocação a Deus ou aos santos.
apetece (r); desejar, cobiçar.
viça (r): viceja; torna viçoso; ganha força, vigor.
arena: lugar coberto de areia, onde combatiam os gladiadores.

1.      A apóstrofe e a anáfora são dois processos estilísticos utilizados pelo Poeta para celebrar a Razão. Exemplificando, destaque a expressividade de cada um deles.
2.      Indique três propriedades da Razão que impressionam o sujeito poético.
3.      Explique o sentido dos versos “Por ti, na arena trágica, as nações / Buscam a liberdade, entre clarões

II

                                        Leia o soneto. Se necessário consulte as notas.



VOZ DO OUTONO

Ouve tu, meu cansado coração,
O que te diz a voz da Natureza;
                                                - «Mais te valera, nu e sem defesa,
                                                Ter nascido em aspérrima solidão,

Ter gemido, ainda infante, sobre o chão
                                                Frio e cruel da mais cruel devesa,
                                                Do que embalar-te a Fada da Beleza,
                                                Como embalou, no berço da Ilusão!

Mais valera à tua alma visionária,
                                               Silenciosa e triste, ter passado
                                               Por entre o mundo hostil e a turba vária,


                                                (Sem ver uma só flor, das mil que amaste)
                                                Com ódio e raiva e dor… que ter sonhado
                                                Os sonhos ideais que tu sonhaste!» -

Antero de Quental 


NOTAS
aspérrima – muito severa, muito rigorosa.
infante – criança; filho primogénito de rei.
devesa - lugar cercado por arvoredo.
hostil – inimigo; contrário.
turba – multidão; populaça.

1.      Considerando a intencionalidade do soneto, explique por que motivo a “voz” é atribuída ao Outono.
2.      Determine, de forma fundamentada, o contraste estabelecido entre o sujeito poético e o mundo.
3.      Transcreva uma estrutura anafórica que imprime ritmo ao discurso.
4.      Classifique quanto ao tempo e modo a forma verbal sublinhada no verso “Mais valera à tua alma visionária” /


III


                                        Leia o soneto. Se necessário consulte as notas.


EVOLUÇÃO

Fui rocha, em tempo, e fui, no mundo antigo,
Tronco ou ramo na incógnita floresta…
Onda, espumei, quebrando-me na aresta
Do granito, antiquíssimo inimigo…

Rugi, fera talvez, buscando abrigo
Na caverna que ensombra urze e giesta;
Ou, monstro primitivo, ergui a testa
No limoso paul, glauco pascigo…

Hoje sou homem – e na sombra enorme
Vejo, a meus pés, a escada multiforme,
Que desce, em espirais, na imensidade…

Interrogo o infinito e às vezes choro…
Mas, estendendo as mãos no vácuo, adoro
E aspiro unicamente à liberdade.
Antero de Quental


NOTAS

incógnita: desconhecida; que não se dá a conhecer.
limoso: em que há limo; género de planta da família das algas.
paul: terreno alagado com água estagnada; pântano.
glauco: de tom verde claro ou verde-azulado.
pascigo: lugar onde o gado pasta; pastagem; pasto


1.      Identifique e analise a oposição passado / presente, especificando o tipo de evolução em cada um dos tempos.
2.       Comente o 1º terceto, baseando-se no valor conotativo das seguintes expressões: sombra enorme e escada multiforme.
3.      Refira a intencionalidade do Poeta ao escrever este poema.